Dezembro 2017 - Março 2019

Preparativos para a Rússia

06

Decidimos ir para a Rússia

 

Em Dezembro de 2017, um dos professores que leccionam na Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC), informou a minha turma de mestrado em Ecoturismo, que haveria uma possibilidade para intercâmbio de um aluno que estivesse interessado em realizar um estágio na Rússia. Quando li aquele mail imaginei logo que seria o meu estágio! Mas havia uma condicionante, teria certamente que levar a Zumba comigo, o facto de a Rússia ser vista como difícil, longínqua e diferente para mim foi um grande estímulo, seria um desafio e eu adoro desafios, mas claro, a Zumba nunca poderia ficar em Portugal.

Começaram deste modo as conversações acerca do meu interesse e claro a possibilidade de levar a Zumba comigo. Por incrível que pareça, em Portugal tive uma boa aceitação, sendo que teriam que contactar os professores responsáveis da instituição de acolhimento, para saber se seria possível receberem um aluno para estágio que levasse um cão consigo, sendo que eu logo de início informei que apenas realizaria o estágio se fosse permitido.

Com bastante brevidade recebi a confirmação dos responsáveis russos de que não haveria problema, que apenas teríamos que procurar um alojamento fora das residências universitárias que eventualmente ficaria mais caro, mas que permitia a permanência de animais de estimação.

Rapidamente comecei a recolher informação acerca da viagem de Portugal para a Rússia e decidi que iria viajar de comboio, sendo que este sairia de Bruxelas ou de Paris e faria o trajecto: Alemanha – Polónia – Bielorrússia – Rússia. Seriam cerca de 3 / 4 dias de viagem de Comboio.

Posteriormente, além do treino habitual que sempre realizei com a Zumba, na ATAAC e no meu dia-a-dia, decidi, no espaço de tempo que teria, continuar a realizar o máximo de actividades distintas que pudesse incluir a Zumba. Desta forma, logo em Dezembro fizemos uma maratona de caminhada em Monchique, onde vencemos uma prova de 42,6 km, fazendo o percurso em cerca de 8h, em Fevereiro de 2018, tal como descrito no post “Da Cova à Estrela”, viajámos de Comboio até à Covilhã e subimos até à torre com pernoita no Covão da Ametade, em Junho contactei a ESAC, presidência, professores e colegas de turma, no sentido de aferir a possibilidade de levar a Zumba comigo para as aulas, acompanhando-me em duas semanas das mesmas e em Agosto fiz a primeira viagem internacional com a Zumba, juntamente com o meu mano e respectiva namorada, fomos até às Astúrias e Cantábria em Espanha, além de todas estas experiências mais “arrojadas”, continuei sempre a fazer com que as minhas rotinas fossem acompanhadas pela minha “sombra”.

Quando chegou a hora de tratar do visto para viajar para a Rússia na agência Lusitana Sol em Lisboa, fui informado que a viagem de comboio seria muito difícil ou quase impossível, visto que seriam muitas horas sem paragem e que apenas haveria comboio com aquele destino, com vários dias de intervalo. Fiquei bastante apreensivo, pois tinham-me informado que o avião não seria muito seguro. Contudo, decidi ir saber por mim e contactei duas companhias que faziam voos directos para Moscovo, sendo elas a TAP e a Aeroflot (companhia aérea Russa). Ao falar com as duas companhias obtive a informação que neste momento os animais que vão para o porão são colocados num compartimento montado para o efeito que é climatizado e despressurizado, não havendo grande diferença de condições para as pessoas que viajam na cabine. Rapidamente comecei a providenciar o que seria necessário para a viagem de avião, nomeadamente a caixa de transporte que tem que ser de acordo com as medidas exigidas pela IATA (International Air Transport Association), contactar despachantes e veterinária. Ao falar com um despachante no aeroporto de Lisboa na zona de cargas, foi me dado a conhecer que transportar a Zumba para a Rússia através da TAP seria a módica quantia de cerca de 1700 Euros, contactando directamente a TAP descobri que o valor baixaria para cerca de 1300 Euros, também uma quantia simpática. Considerando isto uma afronta, decidi de imediato contactar a Aeroflot, que me deu a informação que a viagem para o animal seria entre 75 e 150 Euros cada trajecto e que o peso do animal mais a caixa não poderia ultrapassar os 50 Kg. Completamente incrédulo com a diferença comecei a tentar compreender o que seria necessário para não ter qualquer tipo de surpresas no momento do embarque da Zumba, em simultâneo com a adaptação da Zumba à caixa de transporte que durou alguns dias e se efectuou de uma forma progressiva.

Como a Aeroflot não possuía até Março balcão de atendimento em Lisboa, era um pouco difícil o contacto com a companhia e por esse motivo pedi à professora Russa que mantinha contacto comigo para fazer a reserva da viagem da Zumba, pois esta apenas pode ser marcada após compra do bilhete da pessoa. A professora reservou as quatro viagens no mesmo momento, Lisboa – Moscovo; Moscovo – Stavropol; Stavropol – Moscovo; e Moscovo – Lisboa, em que cada uma apenas teria apenas 75 Euros de custo, ou seja, estamos a falar de uma diferença de trajecto, apenas entre Lisboa e Moscovo ida e volta, de cerca de 2600 Euros pela TAP e 150 Euros pela Aeroflot. Optei por escolher a Aeroflot, visto que as condições que me apresentaram de acondicionamento do animal serem exactamente as mesmas, sendo que me ficou sempre uma preocupação relativa ao facto de ser uma diferença tão grande e que não queria colocar a segurança da minha Zumba em dúvida de forma alguma.

Sendo que seria a Groundforce a fazer o transporte da carga da Aeroflot e que representavam a companhia em Lisboa tentei contactá-los, estes não me deram informação e passaram para a TAP, que me encaminhou para um despachante novamente, que me disse que pela Aeroflot seria impossível viajar, mesmo tendo eu o lugar da Zumba reservado no voo. Comecei a entrar em ansiedade, pois era véspera de partir e estavam-me a dizer que apenas poderia viajar pela TAP.

Novamente recorri à minha professora na Rússia para contactar a Aeroflot para estes me dizerem onde iria eu deixar a cadela para embarcar. Rapidamente a Aeroflot disse que o embarque não seria na zona de cargas, tal como a TAP faria, mas sim no Terminal 1 do aeroporto de Lisboa, bastaria comparecer no check in com a Zumba e toda a documentação sendo esta transportada na zona de bagagem fora de formato.

Acho que é do senso comum que eu como português preferia ter optado pela companhia portuguesa, ainda para mais é sempre um assunto delicado a viagem de um animal de estimação e queremos estar a par de tudo. O acompanhamento por parte da TAP, teoricamente, seria mais próximo e mais fácil a comunicação, contudo foi perceptível que a TAP não está interessada em fazer viagens com animais de estimação. Embora com um sentimento de incerteza optei pela Aeroflot e sem dúvida que foi a melhor opção.

Espero poder contribuir com informação importante para quem quer viajar com os seus companheiros.

Brevemente mais informação acerca da viagem.

We decided to go to Russia.

 

In December 2017, one of the teachers who taught at the Agrarian School of Coimbra (ESAC), informed my ecotourism master’s class that there would be a possibility to exchange a student who was interested in an internship in Russia. When I read that mail I thought that was my internship! But there was a conditioning factor which was to want to take Zumba with me. The fact that Russia is seen as difficult, distant and different, for me was a great motivation, it would be a challenge and I love challenges.

But, of course, Zumba could never stay in Portugal.

 

So I started with the talk about the possibility of taking Zumba with me. As incredible as it may seem, there was good acceptance in Portugal, and they would have to contact the responsible teachers of the host institution, to know of the possibility of receiving a student with a dog, if  he would be allowed to do the internship.

 

I quickly received confirmation from the Russian competent authorities that there would be no problem, but that I would only have to find an accommodation outside the university residences which would eventually be more expensive, but would allow the stay of pets.

 

I quickly started collecting information about the trip from Portugal to Russia and decided that I would travel by train, which would leave Brussels or Paris and would take the route: Germany - Poland - Belarus – Russia, which represented about 3/4 days  of travel.

 

Later on, in addition to the usual training I always performed with Zumba at ATAAC) (training school), I decided that in my free time I would have to continue to make as many different activities as possible that could include Zumba. Thus, in December we did a walking marathon in Monchique, where we won a race of 42.6 km making the journey in about 8 hours and in February 2018, as described in the “Da Cova à Estrela” post, we traveled by train to Covilhã and up to the tower with overnight stay in the Covão da Ametade.

 

In June I contacted ESAC, the presidency, teachers and classmates, in order to check the possibility of taking Zumba with me to classes, and as I had a positive answer, Zumba accompanied me in two weeks.

 

In August I made the first international trip with Zumba, together with my brother and his girlfriend, we went to Asturias and Cantabria in Spain.

 

In addition to all these more daring experiences, I continued to do all my routines always accompanied by my “shadow”.

 

When it came time to get a visa to travel to Russia, on Lusitana Sol in Lisbon, they informed me that the train trip would be very difficult or almost impossible, since it would be many hours without stopping and that there would only be trains to that destination, with interval of several days. I was quite apprehensive as they informed me that the plane it would not be very safe. However, I decided to get acquainted with myself and I

contacted two companies that make direct flights to Moscow, such as TAP (Portuguese airline) and Aeroflot (Russian airline). When I spoke with the two companies, I learned that at this moment

the animals that go to the basement are placed in a compartment that is air-conditioned and depressurised, and there is no great difference in conditions for people traveling in the cabin. I quickly began to pack what would be necessary for the plane trip, that is to say, the transport box which must comply with the measures required by the IATA (International Air Transport Association), contacted dispatchers and veterinarian.

 

When I spoke with a dispatcher at the Lisbon airport in the cargo area, he announced me that transporting Zumba to Russia through TAP would be the modest value of around 1700 Euros. Contacting TAP directly I found that the value would drop to about of 1300 Euros, also a nice amount. Considering this an affront, I immediately decided to contact Aeroflot, who gave me the information that the trip to the animal would be between 75 and 150 Euros each way and that the weight of the animal plus the box could not exceed 50 kg. Completely disbelieving at the difference, I began to try to understand what would be necessary to not have any kind of surprises at the time of Zumba embarkation, along with the adaptation of Zumba to the transport box that lasted a few days and was carried out in a progressive way.

 

As Aeroflot did not have a service desk in Lisbon until March, it was a bit difficult to contact the company and for this reason I asked the Russian teacher to keep in touch with me to make the Zumba trip reservation, since it can only be booked after person ticket purchase. The teacher booked the four trips at the same time, Lisbon - Moscow; Moscow - Stavropol; Stavropol - Moscow; and Moscow - Lisbon, where each one would only have 75 Euros of cost, that is, we are talking about a difference of route, only between Lisbon and Moscow round trip, about 2600 Euros by TAP and 150 Euros by Aeroflot . I chose to choose Aeroflot, since the conditions that presented me for the trip of the animal were exactly the same, and I was always worried about the fact that beeing such a big difference in the value of the trip, I did not want to put the security of my Zumba in doubt at all. Being that it would be the Groundforce to make the transport of the load of Aeroflot and that represented the company in Lisbon I tried to contact them, who did not give me information and they passed to TAP, who in turn sent me to a dispatcher again, who told me that through Aeroflot it would be impossible to travel, even though I already had the Zumba seat booked on the flight. I began to get anxious because it was the day before my departure and I was told that I could only travel on TAP.

 

Once again I turned to my teacher in Russia to get in touch with Aeroflot to let me know where I was going Zumba to board. Aeroflot quickly said that the shipment would not be in the cargo area, as TAP would do, but in Terminal 1 of Lisbon airport. It would be enough to appear at check in with Zumba and all the documentation, and she would be transported in the baggage area outside the format.

 

I think it is common sense that as Portuguese I would have preferred to go for the Portuguese company, even more that is always a delicate matter a pet’s trip and wanting to be aware of everything, TAP Monitoring, would theoretically be closer and easier to communicate, however, it was notorious that TAP is not interested in traveling with pets.

 

Although with a feeling of uncertainty I chose Aeroflot and without any doubt that was the best option.

 

I hope to be able to contribute with important information to those who want to travel with their companion animals.

 

Soon more information about the trip.